sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Chega de sobrevida

Coisas que emburrecem: não querer saber das coisas. Hoje percebo que todo meu movimento para burrice, fui eu quem criei. Fui eu que me fechei e me movimentei para não querer saber das coisas. Coisas que me diriam um pouco mais sobre eu. Coisas que me colocariam em contato com minha dor. Coisas que me fariam perceber minhas fragilidades. Coisas que eu precisaria compreender para aceitar minhas limitações e seguir em frente. Mas não. Eu preferi ficar imóvel. Parada me sentido burra, ao invés de buscar uma resposta. Me mantive na paz/inferno do não saber. Tive medo de enfrentar a realidade e descobrir que meus sonhos não passam de sonhos. E viver num pesadelo. Mas onde eu vivo hoje? Será que já não é em um pesadelo? Hoje começo a me movimentar. Busco uma saída. Não para um sonho, nem para uma pesadelo, mas para a vida. Chega da sobrevida.